Páginas

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

O RIO GRANDE DO NORTE É LÍDER...

O Rio Grande do Norte passou a ser  o Estado mais violento do Brasil. Dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que o RN atingiu em 2017 a taxa de 68 mortes violentas por 100 mil habitantes, após um crescimento de 19,4% em relação a 2016. O número significa mais que o dobro do índice nacional e mais de seis vezes a proporção do Estado menos violento, que é São Paulo, com uma taxa de 10,7 mortes por 100 mil habitantes. Ao mesmo tempo, o RN foi o Estado que mais diminuiu investimentos em segurança pública no ano passado, com 19% de redução.
De acordo com a pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança pública, as despesas realizadas com segurança pública passaram de R$ 1.094.940.390,16 em 2016 para R$ 885.964.201,95 em 2017. A despesa per capita no Rio Grande do Norte passou de 315,06 reais em 2016 para 252,63 em 2017, segundo dados colhidos pelo Fórum junto ao Ministério da Fazenda, o que significa tirar R$ 62,43 de investimento por pessoa. Trata-se do quarto menor investimento per capita do país. Além do RN, reduziram os investimentos em segurança os estados de Goiás (10,74%), Bahia (4,02%) e Sergipe (0,39%)
O RN também lidera as mortes por lesão corporal em número de vítimas, foram 119 em 2016 a 301 em 2017, um aumento de 152% de um ano para o outro. O segundo colocado, Minas Gerais, registrou 60 mortes do tipo no ano passado e 66 em 2016. São Paulo, o maior estado da federação, acumulou 49 mortes por lesão no ano passado e 34 no ano retrasado.



Em quantidade de mortes violentas, Natal ocupa a quarta maior taxa entre as capitais do Brasil. Em 2017 foram 67,2 por 100 mil habitantes. A capital mais violenta foi Rio Branco, no Acre, com 83,7 por 100 mil habitantes. Seguida por Cuiabá, com 67,5 por 100 mil habitantes, e Macapá, com a taxa de 65,9 por 100 mil. O maior crescimento entre capitais foi registrado em Fortaleza, no Ceará, com um acréscimo de 92,9%.
O ano de 2017 foi marcado por brigas entre facções criminosas que causaram, já no primeiro dia do ano, 56 homicídios no interior do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus. O massacre se repetiria com intensidade similar em Boa Vista, na Penitenciária Agrícola Monte Cristo, onde 33 morreram , e na Penitenciária de Alcaçuz, na Grande Natal, onde ao menos 26 foram mortos .
Completam a lista dos estados mais violentos o Acre (63,9) e o Ceará (59,1). As menores taxas foram constatadas em São Paulo (10,7), Santa Catarina (16,5) e Distrito Federal (18,2). O Ceará registrou o maior crescimento do país, com um aumento de 48,6% e o Distrito Federal a maior diminuição, co um decréscimo de 17,7%.
A pesquisa revelou, em um cenário abrangente, que o Brasil atingiu em 2017 o maior número de mortes violentas intencionais, como homicídios e latrocínios, da sua história. Foram 63.880 vítimas, o equivalente a 175 por dia, 7 por hora.   O contexto de confronto entre essas organizações criminosas, cujos expoentes são o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV), permaneceu fora das prisões, elevando o número de assassinatos cometidos nas ruas em diversos estados.
Os indicadores mostram ainda que os estupros aumentaram 8,4%, chegando a 60.018. Os casos de feminicídio totalizaram 1.133. Em 2017 foram registrados 221.238 casos de violência doméstica, uma média de 606 por dia. Também houve crescimento no número de mulheres vítimas de homicídio (6,1%), chegando a 4.539.
A secretaria de Segurança  do Estado informou, pela assessoria de imprensa, que a secretária Sheila Freitas se pronunciará sobre o assunto nesta sexta (09), quando receberá a imprensa.
Segurança em números
68 mortes violentas por 100 mil habitantes. RN é o Estado mais violento;
19% de redução Estado foi o que mais diminuiu investimentos em segurança pública;
19,4% Foi o crescimento da taxa de homicídios entre 2016 e 20;
100%  Taxa do RN é o dobro da média nacional;
600% Estado tem seis vezes mais mortes violentas que São Paulo;
R$ 1.094.940.390,16 montante investido em segurança pública em 2016;
R$ 885.964.201,95 montante investido em 2017;
RN investiu em 2017 R$ 62,43 a menos por pessoa do que em 2016;
2.386 CVLIs foram registradas no RN em 2017;
1.980 CVLIs  foram registrado no RN em 2016;
119 pessoas morreram por lesão seguida de morte em 2016;
301 pessoas morreram por lesão seguida de morte em 2017;
152%  foi o aumento de um ano para o outro.
Com informações da Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário