Páginas

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

EMPARN EXPLICA VENTANIA E CHUVA DE GRANIZO NO INTERIOR DO RN


A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) divulgou, nesta terça-feira (8), nota em que explica a ocorrência de ventos fortes e até de chuva de granizo no interior do estado. Os fatos ocorridos entre a sexta-feira, 4, e essa segunda, 7, são considerados incomuns para a região equatorial, na qual o estado está inserido.
Choveu granizo na sexta-feira em Governador Dix-Sept Rosado, no Oeste potiguar. E nessa segunda, ventou forte em Macau, na região Central. Para a Emparn, o que aconteceu foi um caso excepcional e decorrente do fenômeno chamado de Vórtice Ciclônico de ar Superior. Esse sistema meteorológico pode causar chuvas fortes e distúrbios climáticos como ocorrência de granizo e ventanias.
“Quando tem-se a presença de um sistema meteorológico causador de instabilidade, juntamente com aspectos físicos favoráveis, com o caso do relevo, é possível a formação de nuvens do tipo Cumulus Nimbus, que tem forte formação vertical, atingindo mais de 12 km de altura, e que possa  conduzir as gotículas de água no seu interior, através do movimento vertical a atingir o nível de congelamento, provocando assim a formação das pedrinhas de gelo que dependendo do seu peso, venha a precipitar no formato de granizo”, explica a nota.


Já para a ventania que causou transtornos em Macau, a Emparn explicou que a causa se originou em municípios vizinhos.
“A explicação para a ocorrência desses fortes ventos, com velocidade acima de 50km/h foi a formação de uma célula de instabilidade sobre os municípios de Pendência, Carnaubais e Alto do Rodrigues, onde registraram-se chuvas com índices em torno de 40mm no período de 2 horas. A formação dessa célula de instabilidade (área de baixa pressão) ocasionou o deslocamento acentuado do ar nas regiões circunvizinhas”, diz o texto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário