Páginas

sábado, 22 de junho de 2019

DESEQUILÍBRIO TOTAL: FOLHA DE APOSENTADOS NA EDUCAÇÃO DO RN É O DOBRO DA ATIVA


Embora a governadora Fátima Bezerra (PT) defenda as atuais regras que asseguram aposentadoria especial aos professores, na Educação Pública do Rio Grande do Norte o desequilíbrio da Previdência é ainda mais acentuado. No Estado, as despesas com aposentadorias e pensões dos professores chegam a R$ 100 milhões por mês. Com os professores que continuam em atividade, ficam em R$ 54 milhões. Há 15.765 profissionais do magistério da rede pública estadual na ativa e 21.300 inativos. Os números constam do estudo “RH em Números”, da Secretaria de Administração e Recursos Humanos, que tem como titular a economista Virgínia Ferreira.
O levantamento mostra que os números de inativos, na Educação, estão em crescimento, enquanto reduz a quantidade de professores que continuam em atividade nas escolas. “Entre janeiro de 2014 e janeiro de 2019, o número de professores na ativa diminuiu 7,89%, ao passo que o de aposentados cresceu 25,97%. O quantitativo dos pensionistas, no mesmo período, variou positivamente 17,15%”, destaca o estudo.
As despesas com pagamento de ativos e aposentados aumentam constantemente, mas a folha com inativos tem uma progressão ainda mais acentuada. No pesquisado período (2014 a 2019), a folha dos servidores ativos cresceu 19,12%; a dos aposentados teve o crescimento mais intenso, de 123,2%; e a dos pensionistas, por sua vez, aumentou 94,35%”, aponta o documento.
Os dados mostram um desequilíbrio acentuado. “A folha total dos professores soma mais de R$ 154 milhões. Desse montante, 35% destinou-se ao pagamento dos professores ativos, 61% aos vencimentos dos professores aposentados e 4% aos pensionistas”.


Em janeiro de 2019, mês de referência para o estudo, a folha de pagamento dos profissionais do magistério, contava com 37.065 servidores, dos quais 42,5% estão na ativa; 52,6%, aposentados; e 4,9% são pensionistas”.
TRIBUNA DO NORTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário