Páginas

sexta-feira, 19 de julho de 2019

GOVERNO PAGA ATRASADOS, MAS POLICIAMENTO OSTENSIVO SERÁ REDUZIDO POR FALTA DE VERBAS

O comando geral da PM (Foto: Alberto Leandro/Portal No Ar)

A Polícia Militar estar ‘racionalizando’ o número de policiais na rua por não ter mais a garantia de regularidade por parte do Estado no pagamento das diárias operacionais. O Comando Geral escala de acordo com a previsão orçamentária, que tem previsão de redução para agosto. Antes pagas quinzenalmente, a renda extra relativa a junho só foi paga nessa quinta-feira, 18 de julho.
De acordo com o capitão Robson Medeiros Teixeira, presidente da Associação dos Oficiais Militares Estaduais, essa racionalização no número de policiais nas ruas, mesmo sendo considerada justa para que nenhum policial fique sem a garantia de receber as diárias operacionais, prejudica diretamente a população.
“Hoje, o policiamento ostensivo, praticamente, é segurado pelo efetivo extra, pelas diárias operacionais. O efetivo normal, sozinho, não tem condições de dar total segurança à cidade”, afirmou o oficial da PM.


Uma fonte ouvida pelo PORTAL NO AR estima que, “sem diárias operacionais, 20% ou até 30% do efetivo nas ruas seja reduzido”. Além disso, a Operação Madrugada Segura, que combate saques a bancos, ficaria comprometida, pois grande parte dos policiais desse grupamento são pagos com o extra.
*Viaturas*
Outro problema que a Polícia Militar enfrenta é com a locação de viaturas. Isso porque o Estado está com aluguel de viaturas atrasado há cerca de quatro meses. A informação é de, por falta de pagamento, 30% da frota está recolhida. Os carros vão para a manutenção e não saem.
Uma cláusula do contrato, inclusive, estabeleceria que, se em 90 dias o aluguel não for pago, os locadores podem recolher os veículos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário