Páginas

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

CANDIDATOS AO GOVERNO DO RN AINDA TÊM DÍVIDAS ELEITORAIS DE 2018; CARLOS EDUARDO ALVES É O MAIOR DEVEDOR


Mais de um ano e três meses depois das eleições de 2018, quatro dos oito candidatos ao Governo do Rio Grande do Norte ainda têm dívidas de campanha com fornecedores de produtos e serviços para a campanha eleitoral. Ao todo, os políticos listados acumulam um débito total de R$ 4,83 milhões com 29 empresas, segundo informações da Tribunal do Superior Eleitoral (TSE).
A maior dívida dos candidatos está relacionada com a produção de programas de rádio, televisão ou vídeo. Este tipo de serviço acumula R$ 3,6 milhões em débitos não pagos, o que representa 74,5% de todos os valores.
Entre os candidatos com despesas não pagas, o maior valor é do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT), que foi derrotado no segundo turno das eleições de 2018 pela atual governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT). O pedetista tem uma dívida de R$ 1,8 milhão com três produtoras de vídeo.


Durante a disputa das eleições, Carlos Eduardo Alves declarou contratos que somaram R$ 5,5 milhões, mas só registrou R$ 3,75 milhões em receitas. Ele recebeu 525.933 votos no primeiro turno, e, no segundo turno, foram 753.035 votos.
O segundo colocado em despesas ainda em aberto é o ex-governador Robinson Faria (PSD), com um total de R$ 1,634 milhão. Ele tem dívidas com 19 empresas. A maior parte do valor não pago é referente aos gastos com combustíveis, com R$ 660 mil.
Para as eleições de 2018, Robinson Faria realizou R$ 5,368 milhões em contratos com fornecedores, mas só obteve R$ 3,751 milhões em receita. Ele recebeu 192.037 mil votos no pleito, o que representou 11,85% do eleitorado.
A atual governadora Fátima Bezerra acumula despesas não pagas de R$ 1,339 milhão. Ela tem dívidas com dois escritórios de advocacia, duas empresas de produção de vídeo e uma empresa de serviços gráficos. A petista declarou ter gasto R$ 6,9 milhões ao longo do processo eleitoral, apesar de ter recebido R$ 5,5 milhões em doações de campanha.
Entre os gastos milionários dos outros três candidatos, o valor não pago pelo último nome na lista de devedores, Freitas Júnior (Rede), é irrisório. Ele tem uma conta a acertar de R$ 625 com um prestador de serviços. O candidato contabilizou despesas contratadas de R$ 2,675 mil, apesar de ter registrado R$ 3,004 mil em doações.
Os demais candidatos na disputa da eleição 2018 para o governo do Rio Grande do Norte – Brenno Queiroga (Solidariedade), Carlos Alberto (PSOL), Heró Bezerra (PRTB) e Dário Barbosa (PSTU) – não têm dívidas de campanha, segundo o TSE.
Débitos não pagos pelos candidatos ao governo do RN:
Carlos Eduardo Alves (PDT) – R$ 1,8 milhão
Robinson Faria (PSD) – R$ 1,634 milhão
Fátima Bezerra (PT) – R$ 1,339 milhão
Freitas Júnior (REDE) – R$ 625
Fonte: TSE

Nenhum comentário:

Postar um comentário