Páginas

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

MINISTÉRIO DA SAÚDE LISTA DOIS HOSPITAIS NO RN PARA ATENDIMENTO DE CASOS SUSPEITOS DE CORONAVÍRUS

Hospital Giselda Trigueiro, em Natal  Foto: Sesap 

O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (30) a lista de hospitais de referência para o atendimento de casos suspeitos de coronavírus em todo o Brasil. Para o Rio Grande do Norte, foram designados o Hospital Giselda Trigueiro (Natal) e o Hospital Rafael Fernandes (Mossoró).
Segundo o Ministério, os dois locais foram escolhidos como medida preventiva por terem ampla capacidade de atendimento e profissionais especializados para situações de risco à saúde pública.
A medida faz parte da rotina de atualização dos protocolos e medidas de prevenção previstos no Plano de Contingência Nacional do Ministério da Saúde. 


Os estados e capitais do país têm até a próxima quinta-feira (6) para apresentarem os planos atualizados em reunião convocada pelo ministro da Saúde, em Brasília (DF).
O Ministério da Saúde atualizou, nesta quinta-feira (30), as informações repas-sadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde sobre a situação dos casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil. Até o momento, nove casos se enquadraram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019 (o novo coronavírus), estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ou seja, apresentaram febre e, pelo menos um sinal ou sintoma respiratório, e viajaram para área de transmissão local, a China, nos últimos 14 dias.
Os casos suspeitos estão sendo monitorados pelo Ministério da Saúde nos seguintes estados: Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), São Paulo (3), Rio Grande do Sul (2), Paraná (1) e Ceará (1).
Até às 12h desta quinta-feira (30), o Ministério da Saúde recebeu a notificação de 43 casos para investigação de possível relação com a infecção humana pelo novo coronavírus. Desse total, 34 já foram descartados ou excluídos para suspeitos do novo coronavírus por não cumpriram a definição de caso ou apresentaram resultado laboratorial para outros vírus respiratórios como o vírus Influenza A/H1N1, Influenza A/H3 e Rhinovirus.
Todas as notificações foram recebidas, avaliadas e discutidas com especialistas do Ministério da Saúde, caso a caso, com as autoridades de saúde dos estados e municípios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário