Páginas

segunda-feira, 9 de março de 2020

ALERTA LIGADO: ESTE ANO JÁ FORAM CONFIRMADOS NO RN 511 CASOS DE DENGUE E 92 DE CHIKUNGUNYA

Sesap divulga dados sobre arboviroses em 2020. Foto: Pixabay/Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), acaba de lançar o boletim das arboviroses no RN. Da semana epidemiológica 1 a 8 (encerrada em 22 de fevereiro) foram notificados 1.928 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 511, o que representa uma incidência de 55,42 casos por 100.000 habitantes. Em 2019, considerando o mesmo período, foram 1.688 casos notificados e 490 confirmados, gerando uma incidência de 48,52 casos por 100.000 habitantes.
A distribuição da incidência por município de residência mostra que as maiores incidências, até o momento, se concentram nos municípios da 3ª Região de Saúde e na Região Metropolitana.
Chikungunya e Zika
Quanto à chikungunya, em 2020 a Sesap confirmou 92 casos de um total de 347 notificações de casos suspeitos. Em 2019, nesse mesmo período, foram confirmados 68 casos de um total de 209 notificados.
A distribuição da incidência de Chikungunya por município de residência mostra que as maiores incidências no ano 2020 se concentram nos municípios da 5ª Região de Saúde e na Região Metropolitana.
Em relação à Zika, em 2020 da semana epidemiológica 1 a 8 foram registrados 39 casos prováveis. No mesmo período de 2019, foram registrados 48 casos prováveis.


Previna-se conta o aedes aegypt
É importante lembrar que o período chuvoso continua, e a alternância com os dias de sol e calor formam o ambiente ideal para a proliferação do aedes aegypti. Os ovos do mosquito, quando entram em contato com a água, dão origem a novos mosquitos, e os ambientes quente e úmidos são ideais para que as fêmeas depositem seus ovos. Por isso, é importante adotar atitudes que evitem a proliferação do aedes:
Tampe os tonéis e caixas d’água;
Mantenha as calhas sempre limpas;
Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
Mantenha lixeiras bem tampadas;
Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
Denuncie focos do Aedes aegypt
Quando o foco do mosquito é detectado e não pode ser eliminado pelos moradores, como em terrenos baldios ou lixo acumulado na rua, acione a Secretaria Municipal de Saúde de sua cidade para remover os possíveis criadouros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário