Páginas

segunda-feira, 18 de maio de 2020

EM MÉDIA, PACIENTES DE CORONAVÍRUS LEVAM MAIS DE 24 HORAS PARA CONSEGUIR VAGA DE UTI NO RN

Leitos de UTI instalados em Mossoró, no Oeste potiguar — Foto: Sesap/Divulgação

Pacientes do novo coronavírus levam mais de um dia, em média, para conseguir uma UTI. Desde o momento em que a vaga é solicitada, até a conclusão do processo de transporte, esse tempo chega a ultrapassar as 29 horas. Os dados são da plataforma Regula RN, usada pelos serviços de saúde do estado para administrar a rede de oferta e demanda dos leitos para pacientes críticos. De acordo com a plataforma, 100% dos leitos da região metropolitana de Natal estavam preenchidos no início da tarde deste domingo (17). 

Ao todo, de acordo com a plataforma, o estado tem 152 leitos críticos destinados para pacientes do novo coronavírus. Por volta de 12h30 deste domingo (17), havia 10 disponíveis e 108 ocupados no estado - os números levam em conta apenas os leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) - incluindo os que pertencem a hospitais privados, mas foram contratados pelo Estado. 

Ainda eram registrados 34 leitos bloqueados, ou seja, sem poder funcionar por estarem em manutenção, ou por ainda faltar algum equipamento para a operacionalização, por exemplo. 



Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) afirmou que "vem atuando para conseguir diminuir esse tempo de regulação e transporte, buscando abrir novos leitos em seus hospitais de referência para atendimento de pacientes com suspeita ou confirmados para a Covid-19". 

No primeiro fim de semana de maio, uma paciente de 72 anos faleceu em Ipanguaçu, no Oeste potiguar, após esperar mais de 24 horas por um leito de UTI disponível em Mossoró. 

Na terça-feira (12), o G1 contou a história de um paciente de 37 anos que chegou ao Hospital de Campanha de Natal na noite de segunda-feira (11), mas precisou voltar para a UPA de Potengi, na Zona Norte de Natal, para ficar em um leito de estabilização, enquanto aguardava uma UTI. De acordo com a esposa dele, Joelma Lima, o homem só conseguiu dar entrada no leito de UTI por volta de 22h da terça-feira (12) no Hospital da Polícia Militar. Segundo a mulher, José Aroldo já deixou a UTI e está reagindo bem ao tratamento. 

Tempo médio gasto

Classificação - média: 20 minutos - tempo em que a solicitação chega à central de regulação, o paciente é avaliado pelo médico regulador a partir do quadro clínico informado pelo médico da unidade solicitante e tem sua prioridade classificada (de 1 a 4), sendo colocado na fila para aguardar um leito. 

Regulação - média: 22 horas e 29 minutos - tempo calculado entre a solicitação até o momento em que é encontrada a vaga na unidade hospitalar, isto é, até aparecer a vaga para internamento no prestador (hospital) e este aceitar o paciente.

Transporte - média: 6 horas e 27 minutos - tempo que a unidade solicitante gasta para entrar em contato com o transporte sanitário (Samu) e encaminhar o paciente ao hospital com o leito disponível.

Do G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário