Páginas

domingo, 3 de maio de 2020

PROFISSIONAIS DE SERVIÇOS FUNERÁRIOS SE ADEQUAM CUIDADOS COM O LUTO DURANTE A PANDEMIA

Velórios passaram a ter restrições por causa do novo coronavírus — Foto: Divulgação

Em tempos de pandemia, o luto é um sentimento cada vez mais frequente e mais difícil de lidar. Com algumas restrições a velórios e sepultamentos para mortes por Covid-19 ou não, muitos familiares se sentem angustiados. Os profissionais de serviços funerários trabalham diretamente com a dor da perda e têm atuado diariamente com os cuidados relacionados tanto à prevenção quanto ao auxílio de clientes que perderam um ente querido. 

Érika Carvalho, atendente do Plano Sempre, em Natal, conta que, mesmo diante do risco da doença, poder contribuir para o conforto dos clientes em um momento de dor faz com que o medo fique em segundo plano. "Sabemos que nosso ramo de trabalho é um dos que não pode parar, pois lidamos diariamente com pessoas enlutadas. Poder ajudar os clientes de forma que eles se sintam mais confortados é algo que desperta ainda mais vontade de estar aqui e ajudar as pessoas que passam por um momento difícil a se concentrar na despedida, mesmo que por meios alternativos", relata. 

Em razão do risco de contágio pelo novo coronavírus, as cerimônias de homenagem e despedida de falecidos acontecem sob restrições. Os velórios têm tempo e circulação de pessoas reduzidas e alternativas como o velório virtual estão sendo adotadas, como já acontece no Morada da Paz desde 2001. 




Érika teve contato com familiares de vítimas da Covid-19 e muitos clientes apresentam preocupação com os velórios e sepultamentos. "Alguns são flexíveis, entendem as restrições e cuidados, outros não querem aceitar, acredito que por termos essa cultura da despedida convencional, e por isso é importante fazer um bom atendimento, explicar que as restrições e normas de prevenção demonstram o cuidado que temos com nossos clientes e funcionários", conta. 

A empresa também adotou o home office para alguns funcionários, como é o caso de Efigênio Gurgel, supervisor do Morada São José. Ele conta que, por se tratar de um serviço essencial, esta adaptação precisou ser rápida, com treinamentos para os colaboradores. "Os cuidados foram triplicados e, mesmo com o distanciamento social, nós recebemos as famílias dos falecidos com toda a solidariedade possível, nos colocamos no lugar daquela pessoa na hora do trabalho e essa empatia é o diferencial. Mesmo que nós não tenhamos o afastamento total como ocorreu em outros segmentos, estamos satisfeitos em trabalhar também na luta contra o coronavírus, fazendo nossa parte e prestando um serviço de excelência com todos os cuidados necessários", comenta. 

No Morada da Paz, duas alternativas online foram pensadas para auxiliar famílias que não podem vivenciar o luto através de uma despedida presencial do ente querido. O Velório Virtual é uma delas, em que os clientes podem acompanhar através da web as cerimônias de velório e cremação. Também é possível criar um espaço de memórias dos falecidos e cultivar boas lembranças na plataforma Morada da Memória, uma rede social que permite publicações com fotos, vídeos e mensagens. 

DO G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário