Páginas

sexta-feira, 24 de julho de 2020

56% DOS DOMICÍLIOS NO RN RECEBEM ALGUM AUXÍLIO LIGADO À PANDEMIA


O Rio Grande do Norte tem 612 mil domicílios que receberam algum tipo de ajuda do governo relacionada à pandemia do novo coronavírus em junho. O número representa 56% do total de residências potiguares, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).
A parcela de domicílios em junho aumentou 3,2% pontos porcentuais em relação ao mês de maio, quando a parcela de benefícios alcançou 53,2% das residências. O Rio Grande do Norte é a 11º unidade da federação com a maior parcela de beneficiários. A média de rendimento com origem no auxílio emergencial foi de R$ 914 em junho. A maior parte dos potiguares recebe o auxílio emergencial. Ao todo, 1.102.658 potiguares estão incluídos no programa, segundo o Ministério da Cidadania.
Em todo o País, o Amapá (67,3%) e o Maranhão (66,5%) são os estados em que os auxílios emergenciais chegam a mais domicílios. Em contrapartida, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul a cobertura do programa não alcançou 30% dos domicílios.


Ainda de acordo com o IBGE, cerca de 29,4 milhões de domicílios brasileiros (43% do total) receberam, em junho, algum auxílio emergencial relacionado à Pandemia, que tem por objetivo fornecer proteção social no período de enfrentamento da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Isso corresponde a mais 3,1 milhões de lares beneficiados, na comparação com o mês anterior.
Em junho, quase metade da população (49,5%), cerca de 104,5 milhões de pessoas, viviam em domicílios em que, pelo menos, um morador recebeu auxílio. “Direta ou indiretamente, esse contingente pode ter sido beneficiado com auxílio”, disse o diretor adjunto de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo, acrescentando que foram distribuídos R$ 27,3 bilhões de reais.
A Caixa Econômica Federal (CEF) divulgou nesta quinta-feira (23) um calendário para que os beneficiários do Auxílio Emergencial que tiveram suas contas bloqueadas por suspeita de fraude compareçam às agências para regularizarem o acesso. A medida vem após mais um dia de longas filas em agências da Caixa.
Os trabalhadores que precisarem comparecer a uma agência para fazer o desbloqueio da conta serão informados por meio do aplicativo, através da mensagem “É necessário regularizar o seu Acesso. Procure uma agência, de acordo com o seu calendário de recebimento”.
Nesses casos, o trabalhador deverá ir a uma agência da Caixa com um documento de identidade para solicitar o desbloqueio. É preciso, no entanto, seguir um calendário que tem como base o mês de nascimento do beneficiário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário