Páginas

sábado, 12 de setembro de 2020

PROFESSORES DO ESTADO GANHAM HORA EXTRA MESMO COM AULAS PRESENCIAIS SUSPENSAS



Mesmo longe das atividades de ensino, professores da rede estadual de Educação seguem recebendo horas-extras, além do salário normal. Ao todo, 659 servidores da educação receberam nos últimos cinco meses uma gratificação mensal nos contracheques a título de jornada suplementar.
O pagamento acontece no momento em que as aulas presenciais nas escolas estão suspensas, por causa da pandemia da Covid-19. Professores estão sem dar aulas desde 18 de março.
O custo mensal com o pagamento das horas extras, segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seec), é de R$ 400 mil. Desta forma, entre abril e setembro, a despesa com as horas suplementares para os docentes foi de aproximadamente R$ 2 milhões.
De acordo com a secretaria, apesar da suspensão das aulas presenciais – decretada em 17 de março – nas unidades escolares da rede estadual, as atividades de ensino seguiram de forma não presencial – com as ações de ensino a distância (EAD). Desta forma, o grupo de 659 professores continua recebendo os recursos de horas suplementares.


Os docentes contemplados lecionam nas escolas de tempo integral e têm uma jornada de atividades ampliada. Desta forma, segundo a Secretaria de Educação, os profissionais têm o benefício das horas suplementares.
“Esse pagamento, que ocorre desde 2017, é realizado com recursos do Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, do Ministério da Educação, e tem um valor médio mensal de R$ 400 mil”, detalhou a pasta.
Ainda de acordo a Seec, os docentes seguem ministrando suas cargas horárias em atividades não presenciais conforme normativas expedidas pelo governo. No entanto, a pasta não detalhou quais são as atividades exercidas pelos docentes que dão a garantia do pagamento das horas extras.
A continuidade no repasse de horas-extras foi um pleito do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (Sinte). Em 22 de abril, durante as discussões sobre o reajuste do piso salarial para a categoria, a manutenção das horas-extras foi solicitada ao Governo do Estado. O pedido foi admitido pela Coordenadoria de Administração de Pessoal e de Recursos Humanos (COAPRH).
O Agora RN tentou ouvir representantes do Sinte, mas não obteve retorno.
O novo piso dos professores do Rio Grande do Norte foi sancionado pela governadora Fátima Bezerra em maio passado. O pagamento de 12,84% foi parcelado em três vezes: 3% em junho, 3% em outubro e 6,36% em dezembro. Já valor o retroativo (janeiro até maio) será pago em 11 parcelas em 2021.
Segundo dados do Portal da Transparência do Governo do Estado, a Secretaria Estadual de Educação já soma R$ 696 milhões em pagamento de salários em 2020. O número de profissionais da educação na ativa é de 14 mil. Somente em agosto, a folha de pagamentos da Educação passou dos R$ 90 milhões.
Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário