Páginas

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

APESAR DE NÃO HAVER NENHUM CASO DE REINFECÇÃO POR COVID-19 NO RN; SESAP DIZ QUE SUSPEITOS SERÃO INVESTIGADOS

 


Apesar de não haver nenhum caso de reinfecção por Covid-19 no Rio Grande do Norte, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) lançou uma nota técnica nesta terça-feira (20) para que as unidades de saúde façam o acompanhamento de pacientes Covid-19 por tempo prolongado, investigando os casos de reaparecimento de sintomas após 60 dias de resultado positivo para Covid-19, confirmado pelo exame RT-PCR. O assunto foi abordado em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (21), na Escola de Governo.

“O monitoramento da Covid-19 no RN vem perpassando por diversas estratégias desde o início da pandemia. Neste momento a nossa preocupação também é estabelecer fluxos para análise de possíveis casos de reinfecção. Apesar de não termos casos confirmados de reinfecção no estado, de acordo com experiências observadas em outros países, é necessário o estabelecimento desse fluxo para que possamos ter um processo de investigação já estruturado”, explicou Alessandra Lucchesi, subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap.

Na coletiva de imprensa, Isac Davidson, sanitarista e Apoiador Técnico para enfrentamento a Covid-19 na Vigilância Epidemiológica da Sesap, explicou que a nota técnica foi lançada com o intuito de sensibilizar a rede de saúde para captação desses possíveis casos, definindo os procedimentos necessários para investigação. Os laboratórios públicos e privados não estão autorizados a descartar amostras positivas para SARS-CoV2, devendo seu armazenamento, neste momento, ser realizado por prazo indeterminado.



Devem ser investigados os casos de pacientes que apresentem sintomas de síndrome gripal ou síndrome respiratória aguda grave após 60 dias do primeiro episódio de sinais e sintomas que obtiveram diagnóstico confirmado para Covid-19 através de resultado de RT-PCR positivo.

“Foi feita uma revisão minuciosa em nossa base de dados e não identificamos pacientes que pudessem se encaixar nos critérios para reinfecção. Só é iniciada a investigação se uma segunda amostra por RT-PCR der resultado positivo”, disse Isac.

O Laboratório Central (Lacen) será responsável por reavaliar as amostras. Caso as duas amostras sejam confirmadas positivas para Covid-19 por RT-PCR novamente, estas serão encaminhadas ao laboratório de referência nacional para ser realizado o sequenciamento do genoma viral e análise comparativa, para determinar se houve uma reinfecção ou a reativação da doença.

Números

De acordo com o boletim epidemiológico da Sesap, nesta quarta-feira (21), há no RN 79.326 casos confirmados para Covid-19 – um total de 622 casos novos a mais que o boletim anterior – além de 24.958 suspeitos e 185.573 descartados. Até o momento foram confirmados 2.556 óbitos, sendo 1 nas últimas 24h e um total de 323 óbitos em investigação, além de 586 óbitos descartados.

A taxa de ocupação de leitos está em 39%. Até o final da manhã desta quarta (21), havia 210 pessoas internadas em leitos críticos e clínicos em unidades de saúde públicas e privadas do estado. Por região de saúde, a ocupação de leitos está em 30% na região Metropolitana, 56% no Oeste, 77% no Alto Oeste, 41% na região do Seridó, Mato Grande com 100%, Trairi/Potengi com 9% e a região Agreste está sem pacientes internados em leitos de UTI.

O índice R(t) – que determina o potencial de propagação do vírus – está em 0,54 para o RN como um todo. Os índices por região: Agreste (0,69), Oeste (0,79), Mato Grande (1,15), Seridó (0,79), Trairi/Potengi (0,78), Alto Oeste (1,10), Região Metropolitana (0,79) e Vale do Açu (0,80). Os dados são do Laboratório de Inovação Tecnológica (LAIS) da UFRN.

Testagem

A subcoordenadora do Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), Kelly Lima, apresentou os resultados preliminares da testagem que foi realizada nesta terça-feira (20) e quarta-feira (21) para os trabalhadores da Ceasa/RN. Entre os 400 trabalhadores testados, um total de 20 casos teve resultado positivo para Covid-19 e em todos esses casos os trabalhadores estavam assintomáticos.

A subcoordenadora também expôs o último balanço feito pelo Cerest de profissionais de saúde acometidos pela Covid-19, totalizando 6.253 trabalhadores, com 65% desses casos já tendo alta e retornado ao trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário