HOSPITAL WALFREDO GURGEL PODE DEIXAR DE SER "PORTA ABERTA" E PASSAR ATENDER SÓ PACIENTES ENCAMINHADOS DE OUTRAS CIDADES

 


O Hospital Walfredo Gurgel, em Natal, maior hospital da rede pública de saúde do Rio Grande do Norte, pode deixar de ser “porta aberta” e passar a funcionar com “porta regulada” a partir de setembro. Isso significa que a unidade deve começar a receber apenas pacientes encaminhados de outras unidades, exceto casos de urgência mais graves, como politraumas provocados por acidentes de trânsito. A informação foi divulgada pelo Governo do Estado nesta quarta-feira (20).

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), a regulação da porta do Walfredo Gurgel é uma forma de diminuir a sobrecarga na unidade, que hoje está superlotada. A pasta argumenta que, “muitas vezes”, pacientes que procuram o hospital têm quadros de baixa complexidade, que poderiam ser resolvidos em outras unidades, como as UPAs ou até mesmo postos de saúde nos bairros.

O assunto está sendo discutido, segundo a Sesap, com as direções de hospitais regionais e prefeituras, especialmente a de Natal. A pasta não confirmou quando a mudança vai acontecer, mas informou estar “atuando para que os serviços municipais possam atender às demandas de menor complexidade”, desafogando assim o Walfredo Gurgel.

Com a porta regulada, pacientes que não sejam politraumatizados ou não possuam condição de saúde que demanda atendimento de urgência no Walfredo em alguma das suas especialidades serão orientados a procurar uma unidade mais básica – como UPA – para, em seguida, serem regulados para algum hospital da rede que possa fazer o atendimento.

Maior do Estado, o Hospital Walfredo Gurgel – que abriga no complexo o Pronto-Socorro Clóvis Sarinho – é referência em cirurgias de alta complexidade, neurocirurgia, neurologia, traumatologia, cirurgia vascular, nefrologia, setor de queimados, cardiologia, agravos clínicos, entre outras especialidades voltadas para a alta complexidade.

SUPERLOTAÇÃO E GREVE DE MAQUEIROS

Com a alta procura de casos variados, o Walfredo Gurgel está superlotado. Médicos da unidade relatam que a situação piorou após o isolamento de uma área para atender pacientes que, além de serem casos graves para alguma das especialidades do Walfredo (como politraumas), estejam com Covid-19. Eles cobram que a área seja desmobilizada porque, por causa dela, pacientes chegaram a ser internados em um espaço próximo à recepção.

A Sesap esclareceu, contudo, que “a ‘Área Covid’ do hospital não pode ser desativada neste momento para dar espaço às outras patologias, devido a existência de pacientes com este perfil na unidade, o que requer isolamento e acomodação de acordo com os protocolos Covid-19”.

Apesar de reconhecer a superlotação, a Secretaria de Saúde afirma que “até o momento nenhum paciente deixou de ser assistido, mantendo assim o compromisso com a população do Rio Grande do Norte de oferecer um serviço completo de assistência”.

Além disso, maqueiros que trabalham no hospital suspenderam as atividades por falta de pagamento. A Sesap explicou que a situação aconteceu porque a empresa contratada para fornecer a mão de obra não entregou a documentação necessária para receber o pagamento pelo serviço prestado. A pasta esclareceu que o problema está “em tramitação” e que o pagamento deverá ser feito em breve.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA:

“NOTA

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) esclarece que está trabalhando na reformulação do modelo de atendimentos às urgências do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. O planejamento é de que a partir de setembro, a porta de urgência só passe a atender pacientes com a indicação de outros serviços e a devida autorização.

A sobrecarga da unidade é reflexo da busca direta do serviço pela população e também dos encaminhamentos de pacientes dos municípios, muitas vezes de casos de baixa complexidade.

Para isso, a Sesap está atuando junto às unidades regionais e ao próprio município de Natal, para que os serviços municipais possam atender às demandas de menor complexidade, desafogando assim o HMWG.

A Secretaria esclarece também que a “Área Covid” do hospital não pode ser desativada neste momento para dar espaço às outras patologias, devido a existência de pacientes com este perfil na unidade, o que requer isolamento e acomodação de acordo com os protocolos Covid-19.

Quanto aos maqueiros, que são terceirizados, a empresa responsável atrasou o envio da documentação, influenciando diretamente no processo de pagamento, que está em tramitação e deve ser efetuado em breve.

A direção do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel e a Sesap ressaltam que o hospital é referência em cirurgias de alta complexidade, neurocirurgia, neurologia, traumatologia, cirurgia vascular, nefrologia, setor de queimados, cardiologia, agravos clínicos, entre outras especialidades voltadas para a alta complexidade e até o momento nenhum paciente deixou de ser assistido, mantendo assim o compromisso com a população do Rio Grande do Norte de oferecer um serviço completo de assistência.”

98FM

Comentários

Notícias mais lidas na semana.

SANTO ANTÔNIO (RN): EX-PREFEITO JOSIMAR FERREIRA VAI A CÂMARA MUNICIPAL MOSTRAR A VERDADE

LAGOA DE PEDRAS (RN): PREFEITO E VICE SÃO CASSADOS E JUSTIÇA ELEITORAL DETERMINA NOVAS ELEIÇÕES

[VÍDEO] LEI SECA: BLITZ EM VAQUEJADA MULTA 67 MOTORISTAS POR EMBRIAGUEZ AO VOLANTE

ESCOLINHA DE FUTEBOL ACADEMIA ESTEVÃO

ESCOLINHA DE FUTEBOL ACADEMIA ESTEVÃO
ESCOLINHA PARCEIRA DO BLOG

Postagens mais visitadas deste blog

JOVEM PASTORA E EMPRESÁRIA NAYARA BEZERRA, FAZ DOAÇÃO DE UMA CASA PRÓPRIA PARA UMA FAMÍLIA EM SANTO ANTÔNIO-RN

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

TUDO EM CASA, EM UMA GRANDE FAMÍLIA: PREFEITO DE PASSAGEM (RN) FAZ FARRA DE NOMEAÇÕES FAMILIARES EM SUA GESTÃO