CRESCE NÚMERO DE ACIDENTES COM MOTOCICLETAS NO RN

Imagem
  Dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN) apontam que cresceu o número de ocorrências envolvendo motocicletas no Rio Grande do Norte em comparação com o primeiro semestre do ano passado. O levantamento traz dados do Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE-RN), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), referentes ao período de janeiro a junho deste ano e comparados com o mesmo período do ano passado. Conforme o levantamento, os registros de acidente de trânsito com vítima envolvendo motocicletas com, pelo menos, uma pessoa, somaram 1.289 casos neste ano. No mesmo período do ano passado, foram 1.282 casos. Esses dados são os registrados no momento das ocorrências e não levam em conta mortes ocorridas em hospitais após o registro do fato. O aumento nos acidentes envolvendo motos coincide com o aumento da frota. Gabriel Santos, de 24 anos, fez parte das estatísticas com acidentes de motos. Em 2020, ele fraturou a mão e teve les

CPI DA ARENA DAS DUNAS ESTÁ PRÓXIMA DO FIM E DEVE ENTREGAR RELATÓRIO FINAL EM NOVEMBRO

 


Retomada há dois meses, após hiato de um ano devido ao agravamento da pandemia da Covid-19 em todo o país, a CPI da Arena das Dunas instalada pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN) ouviu nove pessoas sobre o contrato de construção e administração do estádio e analisou documentos encaminhados por órgãos ministeriais e de controle e finanças. O presidente da CPI, deputado estadual Coronel Azevedo afirmou que a comissão está bem próxima de descobrir a verdade sobre os prejuízos que ultrapassam o valor de R$ 421 milhões aos cofres públicos do Estado.

“Há um ponto central, sobre o qual se debate que a mudança no cálculo da remuneração, a chamada parcela variável, depois de construído o estádio, e quando começou a operação e exploração do espaço multiuso, houve uma mudança de conceito entre lucro líquido e receita líquida. É uma questão contábil e muito complexa, estamos ouvindo todos e analisando os documentos. Há uma equipe que nos assessora na ALRN e o Tribunal de Contas colocou servidores para nos assessorar, vai ter perícia contábil e uma série de trabalhos que irão substanciar o relatório final”, afirmou o parlamentar.

O deputado explicou que durante o depoimento do auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN), Vladimir Sérgio de Aquino, foi levantada a questão sobre como a empresa OAS havia chegado ao valor de R$ 400 milhões para a demolição do antigo Machadão e do ginásio Machadinho e posterior construção da Arena das Dunas. Isso fez com que o custo do estádio fosse 40,9% superior ao custo das arenas construídas em outros estados do Nordeste, por exemplo. O auditor revelou ainda que sempre teve dificuldades em obter documentos sobre o contrato junto à OAS.

Para a relatora da CPI, deputada Isolda Dantas, os depoimentos colhidos até o momento foram esclarecedores. Além da questão da falta de entrega dos documentos pela construtora, o que, para ela, evidencia sinais claros de que houve sobrepreços, o fato da Arena das Dunas não ter enviado parte dos documentos que comprovam o faturamento do estacionamento e outros dividendos, comprovam que os membros da comissão estão no caminho certo. “Estamos chegando ao ponto final. O importante é defender o Estado, mas estamos discutindo da forma mais ampla e transparente possível e com oportunidade para todos serem ouvidos”, disse.

Outro ponto de destaque da CPI ocorreu com o depoimento do ex-secretário da Copa do Mundo, Demétrio Torres, responsável pela formatação dos contratos de construção e administração do estádio. Para os parlamentares, ele foi o autor de um ofício que alterou um ponto do contrato da parceria público-privada e que resultou em mais prejuízo. O acordo mudou o cálculo das despesas do estádio com base na receita líquida, ou seja, no lucro total menos os impostos, para que fosse feito com base no lucro líquido, levando em conta as despesas administrativas, custo fixo e encargos, gerando um aumento estimado de R$ 15 milhões.

“A CPI tem cumprido sua função dentro do cronograma. O prazo é de 120 dias, que podem ser prorrogados, mas a intenção é concluir os trabalhos dentro desse período, com a apresentação do relatório final em novembro. Recebemos vasta documentação de órgãos como TCE, Controladoria Geral do Estado (Control), Ministério Público Estadual (MP-RN) e Federal (MPF), Governo do Estado, Consórcio Arena, Tribunal de Justiça (TJ-RN) e Justiça Federal (JF-RN) e BNDES. E outros depoimentos que teremos nos próximos dias”, afirmou o Coronel Azevedo.

Notícias mais lidas na semana.

R$ 25 BILHÕES DO PIS/PASEP ESTÃO PARADOS NO BANCO; SAIBA QUEM PODE SACAR

PRESIDENTE DO BANCO CENTRAL DIZ QUE CARTÃO DE CRÉDITO DEIXARÁ DE EXISTIR

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%

PESQUISA BG/SETA/SÃO GONÇALO/PREFEITO: PAULINHO TEM 59,6% DAS INTENÇÕES DE VOTOS CONTRA 26,4% DE POTI NETO