TRE-RN E TJRN FAZEM PARCERIA PARA COMBATER FAKE NEWS NO PERÍODO ELEITORAL

Imagem
  O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) e o Tribunal de Justiça (TJRN) se uniram para combater a propagação de notícias falsas, especialmente durante o período eleitoral. A parceria foi firmada entre os departamentos de Comunicação dos dois Tribunais. A ideia é que o TJRN, através de suas redes sociais, divulgue informações corretas e serviços sobre as eleições de 2022. Parceria com o TJRN visa ampliar a divulgação de informações verdadeiras sobre o processo eleitoral “O combate à desinformação é uma prioridade para o TRE-RN, bem como para toda a Justiça Eleitoral. Entendemos que fomentar a circulação de conteúdos verídicos e estimular a verificação por meio da divulgação de notícias checadas, recomendações e conteúdos educativos é o caminho para enfrentar os efeitos negativos provocados pela desinformação. A parceria com o TJRN, que possui, em uma única rede social, quase 30 mil seguidores, visa ampliar a divulgação de informações verdadeiras sobre o processo e

JUSTIÇA DETERMINA QUE GREVE DOS PROFESSORES É ILEGAL EM SERRINHA/RN

AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA 0803006-81.2019.8.20.0000

Autor: Município de Serrinha

Advogado: Felipe Augusto Cortez Meira de Medeiros

Requerido: Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN

Relator: Desembargador SARAIVA SOBRINHO

DECISÃO

1. Ação Cível Originária ajuizada pelo Município de Serrinha em face do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Regional de Nova Cruz), objetivando a declaração de ilegalidade de movimento paredista deflagrado pelos servidores do magistério.

2. Aduz haver a categoria aprovado e deflagrado greve geral dos professores municipais após mais de 02 (dois) anos de pandemia, tendo a categoria rejeitado todas as propostas encetadas pela Administração, achando-se, inclusive, com os salários em dia.

3. Pugna, ao final, pela medida antecipatória, para suspender a paralisação e, no mérito, a declaração de sua ilegalidade.

4. É o relatório.

5. Deve o pedido cautelar ser concedido.

6. Com efeito, a Constituição de 1988 consolidou o direito à greve, posteriormente regulamentado pela Lei 7.783/89, cuja aplicabilidade, de acordo com a jurisprudência pacífica do STF, deve ser estendida à Administração Pública.

7. Ensina a melhor doutrina, contudo, possuir o movimento caráter licito ou ilícito (dependendo de sua conformidade com as prescrições legais) e abusivo ou não-abusivo (concorde os excessos praticados).

8. Ou seja, a greve, em especial no respeitante aos servidores públicos, particularmente da área de educação (atividade de elevada importância social), não constitui um direito indiscriminado e muito menos absoluto, porquanto seus marcos se acham retratados, num primeiro momento, na própria Carta Magna, e em instante subsequente, na sua norma regulamentadora.

9. Esse, aliás, foi o entendimento adotado pelo STF no enfrentamento de matéria de semelhantes contornos, a exemplo do Mandado de Injunção 670, julgado em 25 de outubro de 2007 e respectivos embargos, apreciados em 06 de março de 2020.

10. Como visto, regra geral, o exercício de iniciativa paredista deve guardar compatibilidade com os direitos sociais encartados na Lei Maior, dentre eles, a educação, saúde e segurança (art. 6º).

11. No aspecto infraconstitucional, não há como dissociá-lo das fronteiras diminutas de aceitabilidade, devendo ser destacado, nesse particular, a impossibilidade de paralisação da categoria, como um todo.

12. Daí, na espécie, ainda em exame perfunctório do pleiteado, a mim me parece ser a greve deflagrada ilegal e abusiva, residindo, daí, a verossimilhança das alegações autorais.

13. É ilegal, pois praticada sem o contingenciamento do mínimo de pessoal imprescindível à realização das atividades fim e meio, atentando, sobretudo, contra os princípios da legalidade, da continuidade dos serviços e da supremacia do interesse público sobre o privado.

14. Igualmente se mostra abusiva, uma vez deflagrada logo em seguida a extenso interregno sem aulas decorrente da paralisação das atividades docentes durante a pandemia do coronavírus, repercutindo em sérios danos, quiçá irreparáveis, as crianças e adolescentes Serrinhenses, notadamente os discentes da sua rede pública de ensino.

15. A propósito, esta é a linha de raciocínio adotada por esta Corte, v.g. as recentes ACO 0802324-29.2022.8.20.0000 e 0802607-52.2022.8.20.0000.

16. Da mesma forma, pelos motivos derradeiros elencados, é manifesto o periculum in mora, tendo em vista, repise-se, a premente necessidade de manutenção das atividades educacionais, a fim de garantir a continuidade do semestre letivo.

17. Daí, concedo a liminar, para determinar o retorno imediato dos professores às suas atividades, sob pena de multa diária de R$ 10.000,00 (dez mil reais).

18. Cite-se a demandada para apresentar resposta no prazo de trinta (30) dias.

Publique-se. Intimem-se.

Natal, data da assinatura eletrônica.

Desembargador Saraiva Sobrinho

Relator

Notícias mais lidas na semana.

MAIS UM GRUPO LIGADO AO DEPUTADO GALENO TORQUATO, ADERE AO GRUPO DO DEPUTADO RAIMUNDO FERNANDES

PREFEITO FLAVIO DE BEROI DESARTICULA OPOSIÇÃO E INTERMEDIA APOIO DE LIDERANÇAS NOVA-CRUZENSES AO DEPUTADO RAIMUNDO FERNANDES

9 PREFEITOS DO RN NA MIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO; SAIBA QUAIS E OS MOTIVOS

ESCOLINHA DE FUTEBOL ACADEMIA ESTEVÃO

ESCOLINHA DE FUTEBOL ACADEMIA ESTEVÃO
ESCOLINHA PARCEIRA DO BLOG

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA