CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL ANUNCIA CONCURSOS PÚBLICOS COM 57 VAGAS EM 2023

Imagem
  A Câmara Municipal de Natal anunciou que deve realizar dois concursos públicos com um total de 57 vagas em 2023. O contrato para realização do primeiro processo, que terá 47 vagas de nível médio e superior, foi assinado com a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Norte (Funcern) na última sexta-feira (27). Segundo a diretoria da Casa Legislativa, também há previsão de outro concurso em 2023 – o da guarda legislativa, com 10 vagas, que deve ser realizado em seguida. Este ainda não tem banca contratada. “Esse é o primeiro concurso de âmbito geral para nível superior, em diversas categorias e especialidades, e nível médio, com enfoque prioritário na área de tecnologia. A Câmara está implantando neste ano o seu datacenter e a gente pretende dar prioridade a esses futuros servidores que trabalharão nessa implantação do setor de tecnologia dentro projeto de expansão tecnológica da Câmara”, afirma a diretora da CMN, Iracy Azevedo. A Funcern informou

CUSTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO RN TEM MAIOR AUMENTO DO PAÍS NO ACUMULADO DO ANO

 


Dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), produção conjunta do IBGE e da Caixa Econômica Federal, apontam que, no acumulado de 2022, até agosto, o RN tem a maior elevação percentual no custo da construção civil do país, empatado com Rondônia. Houve um aumento de 15,28% no custo médio por metro quadrado no período em questão. Já Santa Catarina (6,87%) e Pará (6,08%) tiveram as menores variações no ano.

Além disso, na comparação com o mês de julho, o estado potiguar teve uma elevação nos custos da construção civil de 1,4%, a maior do Nordeste. O segundo estado nordestino no ranking regional, foi o Piauí, com uma variação de 0,63%. Nacionalmente, Amazonas (3,19%), Mato Grosso do Sul (3,71%) e Rondônia (5,67%) tiveram os maiores aumentos de custos no mês.

Já no acumulado dos últimos 12 meses, o RN apresenta uma alta de 18,27%, a terceira maior do país, atrás apenas do Amazonas (18,41%) e de Goiás (19,69%).

Em números absolutos, no mês de agosto, o custo médio total por metro quadrado da construção civil no estado potiguar foi de R$1.520,76 (ante R$1.499,81 em julho), abaixo do preço nacional, R$1.661,85 (ante R$1.652,27 em julho).  

No ranking de menor custo médio total, o RN ocupa a quarta posição entre todos os estados, atrás de Piauí (R$1.498,33), Alagoas (R$1.459,96) e Sergipe (R$1.453,95). Na composição desse custo, a parcela referente a material foi de R$942,19, e o valor da mão de obra foi de R$578,57.

O Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI) tem por objetivo a produção de séries mensais de custos e índices para o setor habitacional, e a produção de séries mensais de salários medianos de mão de obra e preços medianos de materiais, máquinas e equipamentos e serviços da construção para os setores de saneamento básico, infraestrutura e habitação. O Sistema é uma produção conjunta do IBGE e da Caixa Econômica Federal. As estatísticas do SINAPI são fundamentais na programação de investimentos, sobretudo para o setor público. Os preços e custos auxiliam na elaboração, análise e avaliação de orçamentos.

O SINAPI é mais um dos inúmeros levantamentos estatísticos realizados pelo IBGE, que de agosto a outubro de 2022 estará visitando todos os domicílios do país para realização do Censo Demográfico (Informações em: censo2022.ibge.gov.br).

Notícias mais lidas na semana.

[ VÍDEOS ] INDIGNADA, POPULAÇÃO DE JUNDIÁ/RN PROTESTA CONTRA VEREADORES DA OPOSIÇÃO SOBRE PROJETO DOS CONTRATOS

VÍDEO: ACIDENTE DEIXA DOIS MORTOS E VÁRIOS FERIDOS GRAVES NA BR-101, NO RN

NOITE DE TERROR: BANDIDOS FAZEM SEQUESTRO E ATIRAM CONTRA VIATURA DA PM NO RN

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%