GUERRA NA UCRÂNIA DÁ NOVO IMPULSO A PROTAGONISMO PETRODITADURAS

Imagem
  Com menos petróleo russo no mercado e um embargo ao produto que deve começar na segunda-feira, governos autoritários produtores de petróleo são recebidos com cordialidade por países dependentes. O governo da Venezuela fez questão de divulgar em suas redes sociais uma imagem da COP-27 em que Nicolás Maduro é recebido calorosamente pelo presidente francês, Emmanuel Macron. O gesto chamou atenção porque, em 2019, a França rechaçou Maduro e reconheceu Juan Guaidó como líder da Venezuela. Mas, agora, em meio a uma crise de energia que ameaça a Europa em razão da guerra na Ucrânia, gestos amistosos com líderes autoritários como Maduro e Mohammed Bin Salman, da Arábia Saudita, voltaram à cena, já que ambos possuem uma commodity valiosa: petróleo. Na segunda-feira, a União Europeia dá o primeiro passo para embargar o petróleo da Rússia em retaliação à invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro. A sanção promete afetar o mundo todo, já que Moscou é um grande exportador da commodity. Em busca de a

FALA DE PUTIN SOBRE USO ARMAS NUCLEARES NA UCRÂNIA É "PERIGOSA", DIZ BIDEN

 


O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, expressou ceticismo em relação aos comentários do presidente russo, Vladimir Putin, em um discurso na quinta-feira (27) de que ele não tem intenção de usar uma arma nuclear na Ucrânia.

“Se ele não tem intenção, por que continua falando sobre isso? Por que ele está falando sobre a capacidade de usar uma arma nuclear tática?”, perguntou Biden em entrevista à NewsNation.

“Ele tem sido muito perigoso na forma como abordou isso”, disse Biden.

Os Estados Unidos ainda não viram nenhuma indicação de que os exercícios anuais da Rússia envolvendo suas forças nucleares, chamados de “Grom”, possam ser uma cobertura para uma organização real, disse o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, nesta quinta.

O presidente russo, Vladimir Putin, observou na quarta-feira (26) uma parte dos chamados exercícios “Grom” das forças nucleares estratégicas da Rússia, que segundo Moscou envolveram mísseis balísticos intercontinentais Yars, submarinos e aviões bombardeiros estratégicos Tupolev.

Os exercícios apresentaram um desafio potencial para os Estados Unidos e seus aliados. Putin turvou as águas sobre suas reais intenções, depois de ameaçar usar armas nucleares para defender a Rússia em sua invasão da Ucrânia.

Autoridades ocidentais, no entanto, expressaram confiança em suas capacidades de detectar quaisquer indicações de que a Rússia possa estar se movendo para empregar tais armas.

Austin não demonstrou preocupação, em breves comentários aos repórteres sobre o assunto.

“Não vimos nada que nos faça acreditar, neste momento, que é algum tipo de atividade de cobertura”, disse Austin.

Com as forças ucranianas avançando para a província de Kherson, ocupada pela Rússia, ameaçando uma grande derrota para Moscou, o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, telefonou para Austin no domingo para comunicar alegações de que a Ucrânia planejava realizar um ataque com uma “bomba suja”.

O presidente da UcrâniaVolodymyr Zelensky, disse que a alegação mostra que Moscou estava planejando um ataque com um dispositivo explosivo misturado com material radioativo e tentou culpar Kiev.

Austin minimizou tais preocupações.

“Não vimos nada que indique que Putin tomou a decisão de usar uma bomba suja, nem vimos nenhuma indicação de que os ucranianos estejam planejando tal coisa”, disse Austin.

Notícias mais lidas na semana.

VÍDEO: PREFEITURA DE LAGOA DE PEDRAS/RN DIVULGA ATRAÇÕES DO RÉVEILLON 2023; CONFIRA

IGUALMENTE A TEREZINHA MAIA, TOMBA FARIA PODERÁ SER CASSADO

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA