GUERRA NA UCRÂNIA DÁ NOVO IMPULSO A PROTAGONISMO PETRODITADURAS

Imagem
  Com menos petróleo russo no mercado e um embargo ao produto que deve começar na segunda-feira, governos autoritários produtores de petróleo são recebidos com cordialidade por países dependentes. O governo da Venezuela fez questão de divulgar em suas redes sociais uma imagem da COP-27 em que Nicolás Maduro é recebido calorosamente pelo presidente francês, Emmanuel Macron. O gesto chamou atenção porque, em 2019, a França rechaçou Maduro e reconheceu Juan Guaidó como líder da Venezuela. Mas, agora, em meio a uma crise de energia que ameaça a Europa em razão da guerra na Ucrânia, gestos amistosos com líderes autoritários como Maduro e Mohammed Bin Salman, da Arábia Saudita, voltaram à cena, já que ambos possuem uma commodity valiosa: petróleo. Na segunda-feira, a União Europeia dá o primeiro passo para embargar o petróleo da Rússia em retaliação à invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro. A sanção promete afetar o mundo todo, já que Moscou é um grande exportador da commodity. Em busca de a

INADIMPLÊNCIA DAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS CAI PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO

  


O número de micro e pequenas empresas inadimplentes caiu pelo segundo mês consecutivo. Segundo o Indicador de Inadimplência das Empresas da Serasa Experian, houve queda de 0,1% em agosto em relação ao mês anterior. Ao todo, são 5.540.767 micro e pequenos negócios com dívidas no Brasil.

De acordo com o levantamento, as companhias que atuam no setor de serviços são as que registram a maior representatividade, com 52%, seguidas pelas que atuam no comércio (39,5%).

No ranking por região do país, o Sudeste lidera com 53%, seguido de Sul (16,4%), Nordeste (16,3%) e, por fim, a Centro-Oeste, com 9%.

Para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, a queda na falta de pagamento das empresas é tímida e ainda traz um sinal de alerta para que elas deem mais atenção à organização de seus fluxos de caixa.

“As empresas precisam ter em mente que a inflação impacta o bolso dos brasileiros e, consequentemente, os negócios pela diminuição no poder de compra. Por isso, a dica é cortar custos desnecessários e negociar despesas sempre que possível”, afirma Rabi.

Do total de R$ 44,1 bilhões de dívidas envolvendo as micro, pequenas, médias e grandes empresas do país, o valor médio fica em R$ 16.456,50 e a maioria delas foi contraída no setor de serviços (27,6%), bancos e cartões (18,8%), telefonia (9,2%) e varejo (4,2%).

A queda da inadimplência coincide com a sequência de deflação registrada desde julho. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial, foi de -0,68%, em julho, o menor nível desde 1980, de -0,36, em agosto, e de -0,29%, em setembro, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O alívio na inflação brasileira foi motivado pela redução da alíquota do ICMS sobre a gasolina e a energia elétrica nos estados — após o governo federal ter zerado o PIS/Cofins sobre a gasolina e o etanol.

R7

Notícias mais lidas na semana.

VÍDEO: PREFEITURA DE LAGOA DE PEDRAS/RN DIVULGA ATRAÇÕES DO RÉVEILLON 2023; CONFIRA

IGUALMENTE A TEREZINHA MAIA, TOMBA FARIA PODERÁ SER CASSADO

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA