GUERRA NA UCRÂNIA DÁ NOVO IMPULSO A PROTAGONISMO PETRODITADURAS

Imagem
  Com menos petróleo russo no mercado e um embargo ao produto que deve começar na segunda-feira, governos autoritários produtores de petróleo são recebidos com cordialidade por países dependentes. O governo da Venezuela fez questão de divulgar em suas redes sociais uma imagem da COP-27 em que Nicolás Maduro é recebido calorosamente pelo presidente francês, Emmanuel Macron. O gesto chamou atenção porque, em 2019, a França rechaçou Maduro e reconheceu Juan Guaidó como líder da Venezuela. Mas, agora, em meio a uma crise de energia que ameaça a Europa em razão da guerra na Ucrânia, gestos amistosos com líderes autoritários como Maduro e Mohammed Bin Salman, da Arábia Saudita, voltaram à cena, já que ambos possuem uma commodity valiosa: petróleo. Na segunda-feira, a União Europeia dá o primeiro passo para embargar o petróleo da Rússia em retaliação à invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro. A sanção promete afetar o mundo todo, já que Moscou é um grande exportador da commodity. Em busca de a

PT VOLTA A CRESCER NO SUL E SUDESTE COM LULA, APÓS PARTIDO PERDER VOTOS EM ELEIÇÕES PASSADAS

 


Duas décadas de eleições presidenciais mostram uma mudança seguida de uma maior estabilidade na distribuição dos votos recebidos pelos candidatos do PT nos mais de 5,5 mil municípios do país.

Mapas eleitorais produzidos pelo g1 com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) referentes ao primeiro turno das disputas indicam que, entre 2002, quando Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito pela primeira vez, e este ano, a votação do PT passou de um modelo mais disperso de votos para um mais concentrado em municípios do Norte e Nordeste do Brasil.

Com mais de 57 milhões de votos conquistados este ano, a votação do presidente Lula voltou a expressar força nesses municípios, mas agora também com a retomada em grandes centros do Sudeste e em cidades importantes do Sul e Centro-Oeste.

A mudança mais nítida no padrão de votação do PT aconteceu em 2006, quando Lula obteve 46,6 milhões no 1º turno, ficando com 48,6% dos votos. Ao contrário de 2002, quando os percentuais de votação petista foram mais uniformemente distribuídos pelo país, 2006 mostrou um mapa de votação mais concentrado em municípios do Norte e Nordeste, além de parte de cidades do Sudeste.

Em 2002, o maior percentual de votos para Lula foi registrado em Lindóia do Sul, em Santa Catarina, com 79,7%. Já a sua pior votação foi em Pires Ferreira, no Ceará, onde obteve apenas 5,7%.

Quatro anos depois, a maior votação do petista foi em Manaquiri, no Amazonas, com 93%. Em 2006, Lula apresentou votações mais baixa no Sul e Centro-Oeste. Na cidade de São Paulo, o desempenho também caiu: em 2002, Lula tinha recebido 42% dos votos, mas, em 2006, chegou a 35,7%. Em Porto Alegre, o petista recebeu 46% dos votos em 2002, mas recuou para 29,7% em 2006.

Notícias mais lidas na semana.

VÍDEO: PREFEITURA DE LAGOA DE PEDRAS/RN DIVULGA ATRAÇÕES DO RÉVEILLON 2023; CONFIRA

IGUALMENTE A TEREZINHA MAIA, TOMBA FARIA PODERÁ SER CASSADO

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA