RN TEM 304 OBRAS PÚBLICAS COM RECURSOS FEDERAIS PARALISADAS, DIZ TCU

Imagem
  Obra de túnel de macrodrenagem e requalificação da avenida Jerônimo Câmara paralisada (Arquivo) — Foto: Reprodução O Rio Grande do Norte tem pelo menos 304 obras públicas com recursos federais paralisadas e inacabadas. Os dados são do Painel de Obras Paralisadas do Tribunal de Contas da União (TCU), que constatou cerca de 8 mil projetos nesta mesma situação em todo o país. Com base nas fontes de dados do TCU, o Rio Grande do Norte registrou 814 obras públicas com recursos federais em 2022, dentre as quais estão as mais de 300 paralisadas, que representam 37,3%. Conduzidas por prefeituras, por órgãos do governo estadual e pelo próprio governo federal, as obras inacabadas somam investimento total de R$ 929 milhões. Cerca de R$ 346,3 milhões já foram aplicados nesses projetos. Embora a maior parte das obras paralisadas no estado esteja relacionada à Educação - são 125 nesse setor - as obras de maior valor são relacionadas a infraestrutura e saneamento básico. Não entra na conta obras qu

HOSPITAL DA MULHER EM MOSSORÓ TEM 93% DAS OBRAS CONCLUÍDAS

 


O Hospital da Mulher Parteira Maria Correia, localizado na cidade de Mossoró, será a maior unidade da rede estadual de saúde e irá mudar a realidade da assistência à saúde da mulher e materno-infantil no Rio Grande do Norte. Viabilizada com recursos do Governo do RN, por meio do Projeto Governo Cidadão, garantidos através de empréstimo com o Banco Mundial, a unidade recebeu nesta segunda-feira (07) a visita técnica da equipe do Governo do Estado e do Banco Mundial, em sua 2ª Missão realizada em solo potiguar de forma presencial. A Missão do Banco Mundial tem foco na finalização dos investimentos. 

“Vai ser referência não só para o Rio Grande do Norte, mas para o Nordeste e para o Brasil. As mulheres merecem”, comenta a governadora em tom de comemoração. “Quando assumimos, infelizmente essa obra estava apenas 13% construída. Até 31 de dezembro entregaremos o Hospital da Mulher a Mossoró e a toda região do entorno, já funcionando com a parte de ambulatório. Até o meio do ano de 2023 teremos seu funcionamento pleno”, complementa a chefe do executivo estadual. 


 O Hospital da Mulher terá 163 leitos (118 de internação e 45 para outros serviços, como urgências) mais assistência ambulatorial, pronto-socorro, UTI, salas de parto humanizado, banco de leite humano e serviços de suporte às mulheres vítimas de violência. Atenderá a mais de 60 municípios da região, com previsão de 20 mil atendimentos por ano. O valor do investimento é de R$ 134 milhões, incluindo a obra e aquisição de equipamentos. 



A Missão do Banco Mundial vem acompanhar o andamento das obras, confirmando a execução de 93%, estamos muito próximos da sua finalização”, afirma o secretário estadual de infraestrutura, Gustavo Coelho.

“O papel do Banco Mundial é apoiar os estados no desenvolvimento, na área da saúde e pobreza, e a saúde das mulheres e das crianças faz parte desse esforço de desenvolvimento. Ver a realização desse hospital quase pronto é muito importante”, pontua Sophie Naudeau, diretora de operações para o Brasil do Banco Mundial. 

A unidade de saúde está sendo construída numa região em expansão do município de Mossoró, em um terreno cedido pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). A previsão de entrega do hospital é para dezembro deste ano ainda. 

Modelo de gestão e parceria com Universidades

Amplamente debatido, com direito inclusive a audiência pública, o modelo de gestão será de cogestão entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e demais universidades colaboradoras. A Sesap se responsabilizará por toda a parte burocrática, enquanto a UERN responderá pela parte acadêmica, já que o hospital se propõe a ser também um hospital escola, dedicado à formação profissional. 

A Carta de Serviços da unidade, que é um documento que versa sobre os serviços prestados, a forma de acesso a esses serviços, assim como os compromissos e os padrões de qualidade, foi finalizada por um Grupo de Trabalho formado por técnicos do Governo Cidadão e da Sesap com a colaboração de universidades parceiras: Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Universidade do Estado do RN (UERN).

Do Banco Mundial estavam presentes Sophie Naudeau, diretora de operações para o Brasil, Leonardo Bichara, co-gerente pelo Banco Mundial, Ana Roumani, consultora de avaliação e João Guilherme, especialista em compras. 

Acompanharam a governadora a deputa estadual Isolda Dantas; Raimundo Fernandes, deputado estadual; Fernando Mineiro, deputado federal eleito; Divaneide Basililio, vereadora de Natal, Larissa Rosado e Marleide Cunha, vereadoras de Mossoró; Gustavo Coelho, secretário da infraestrutura; Lyane Ramalho, secretária adjunta da SESAP; Socorro Batista, secretária adjunta do Gabinete Civil (GAC) e Samanda Alves, chefe do Gabinete da Educação.

Notícias mais lidas na semana.

DIRETOR-GERAL DA CÂMARA DE SANTO ANTÔNIO É O ÚNICO SERVIDOR DO RN A RECEBER A MEDALHA TOP LEGISLATIVO 2022

WILSINHO (PTB) É ELEITO PREFEITO DE CANGUARETAMA COM 54,74% DOS VOTOS VÁLIDOS

VÍDEO: PREFEITURA DE LAGOA DE PEDRAS/RN DIVULGA ATRAÇÕES DO RÉVEILLON 2023; CONFIRA

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%