PARQUE DO IMD GERA 2,1 MIL EMPREGOS E MOVIMENTA CERCA DE R$ 200 MILHÕES

Imagem
  Passados cinco anos da sua fundação e início das operações, o Parque Tecnológico Metrópole Digital, em Natal, chegou à marca de R$ 200 milhões em faturamento na soma das empresas presentes no ecossistema e já gera mais de 2.100 empregos em 91 marcas presentes. Vinculado ao Instituto Metrópole Digital, da UFRN, o Parque foi fundado em 2017 e conta com uma série de benefícios fiscais para os integrantes do polo tecnológico. Para o diretor-geral do Parque Tecnológico, Rodrigo Romão Nascimento, o espaço está cumprindo com o que foi projetado na sua concepção inicial.  “A ideia do Parque veio finalizar a missão do IMD, que era fomentar a criação de um polo de tecnologia da informação. O IMD começou por volta de 2011 com o ensino, pesquisa. Esses cinco anos foram necessários para consolidá-lo de fato, ter uma referência, identidade. Nossa missão daqui pra frente é ser um ambiente promotor de conexões para a área de TI”, explica Romão. O Metrópole Digital foi criado a partir da liberação de

AÇÃO IDENTIFICA 168 TRABALHADORES EM SITUAÇÃO PRECÁRIA EM GOIÁS

 

PRF e outros órgãos durante operação que identificou mais de 160 trabalhadores em situação precária em Anicuns, Goiás — Foto: Divulgação/PRF


Uma operação identificou mais de 160 trabalhadores rurais em situação precária e aplicou multas que somam cerca de R$ 300 mil em empresas de Anicuns, na região central de Goiás, segundo a Polícia Rodoviária Federal. Além disso, a PRF disse que a ação também interditou uma frente de trabalho de extração de eucaliptos e uma máquina que tritura madeira.

Como os nomes das empresas não foram divulgados, o g1 não havia obtido contato com as defesas delas para que se posicionem até a última atualização desta reportagem.

A ação aconteceu entre terça-feira(6) e quinta-feira (8), por meio da PRF, do Ministério do Trabalho e Previdência e do Ministério Público do Trabalho.

Segundo a PRF, a investigação começou após uma denúncia de trabalho escravo em uma determinada empresa. No entanto, além da empresa denunciada, foram fiscalizadas mais cinco empreendimentos na região.

O trabalho conjunto identificou, ao todo, 168 trabalhadores rurais em situação precária e lavrou 60 multas que, somadas, giram em torno de R$ 300 mil.

A polícia informou que, embora a situação dos trabalhadores não tenha configurado como sendo trabalho análogo à condição de escravo, os trabalhadores rurais estavam em condições bastante precárias.

A PRF explicou que o trabalho escravo se caracteriza por situações de trabalho similares à escravidão, com jornada exaustiva, trabalho forçado, condições degradantes e servidão por dívida, e que as propostas deste tipo de trabalho normalmente são feitas mediante fraude, ameaças, violência física ou psicológica.

A Polícia Rodoviária Federal aconselhou que, antes de aceitar uma proposta de emprego, as pessoas devem se informar sobre a seriedade da empresa, qual a carga horária e o salário oferecido e se o local de trabalho é adequado.

Notícias mais lidas na semana.

[ VÍDEOS ] INDIGNADA, POPULAÇÃO DE JUNDIÁ/RN PROTESTA CONTRA VEREADORES DA OPOSIÇÃO SOBRE PROJETO DOS CONTRATOS

VÍDEO: ACIDENTE DEIXA DOIS MORTOS E VÁRIOS FERIDOS GRAVES NA BR-101, NO RN

POLÍCIA FEDERAL PRENDE HOMEM QUE DESTRUIU RELÓGIO DE DOM JOÃO VI NO PALÁCIO DO PLANALTO

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%