'VAPE DE VITAMINAS' TEM PROIBIÇÃO DA ANVISA, MAS É VENDIDO LIVREMENTE NA INTERNET; PROFISSIONAIS DE SAÚDE ALERTAM PARA RISCOS

Imagem
  Foto: Reprodução:     Os cigarros eletrônicos com vitaminas tentam atrair mais usuários com a promessa de que ajude na saúde. Profissionais de saúde alertam que o ‘vape’ pode trazer diversos prejuízos. Os cigarros eletrônicos são vetados no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que diz que é proibido comercializar e fazer propagandas, de qualquer dispositivo eletrônico seja para fumar ou pra suplementação de vitaminas, probióticos, enzimas e outros . A agência afirma que a fiscalização do comércio de cigarros eletrônicos é de responsabilidade de autoridades locais. Anúncios na internet dizem que o produto dá energia, firmeza na pele e recupera músculos, mas são todos ilegais e perigosos, seja qual for a composição. A Sociedade Brasileira de Pneumologia diz que estudos científicos mostram que o uso de cigarro eletrônico causa doenças não só respiratórias, mas gastrointestinais, na boca, entre outras. O jornalista Leonardo Resende fez uso e passou mal. Com a prom

NORMA QUE DIFICULTAVA ABORTO LEGAL É REVOGADA PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

 


Notas técnicas e portarias adotadas durante a gestão do governo de Jair Bolsonaro começaram a ser revogadas pelo Ministério da Saúde, que atualmente é comandado por Nísia Trindade, nesta segunda-feira (16). Entre as revogações, está a norma que exigia que médicos ligassem para a polícia em situações onde um aborto ocorresse por causa de estupro.

A portaria, assinada pelo ex-ministro Eduardo Pazzuelo em setembro de 2020, foi uma das seis primeiras anuladas pela nova ministra da Saúde, que já havia prometido realizar revogações das normas aplicadas durante o antigo governo que “ofendem a ciência, os direitos humanos e os direitos sexuais reprodutivos”. No ínício, as modificações assinadas por Pazzuelo afetavam também abortos permitidos na legislação. Após críticas e a ajuização de ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF), a norma recuou em alguns pontos.

Entre as exigências alteradas pelo STF, havia a que obrigava os profissionais de saúde a oferecer às mulheres vítimas de violência sexual exames de ultrassom, com objetivo de ver o feto ou embrião antes de fazer o aborto legal. A lei não exigia o registro de ocorrência pela vítima e também não colocava a denúncia como compulsória, “em respeito à autonomia da mulher”.

Também foram revogadas a portaria 4.809, de 30 de dezembro de 2022, que institui o Fórum Permanente de Articulação com a Sociedade Civil; a portaria 1.079, de 11 de maio de 2022, que formaliza e institui programas nacionais de prevenção e detecção precoce de câncer, na Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer; a portaria 3.473, de 12 de setembro de 2022, que dispõe sobre a Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização, e dá outras providências; a portaria 715, de 4 de abril de 2022, que institui a Rede de Atenção Materna e Infantil (RAMI); e a portaria 2.228, de 1º de julho de 2022, que dispões sobre a habilitação e o financiamento da RAMI.

As informações são da Folha de Pernambuco

Notícias mais lidas na semana.

JOVEM EMPRESÁRIO VEM SENDO LEMBRADO PELA POPULAÇÃO PARA UMA POSSÍVEL CANDIDATURA DE PREFEITO EM SANTO ANTÔNIO

NATAL CAP EMITE NOTA DE ESCLARECIMENTO; CONFIRA

MORRE A JORNALISTA GLÓRIA MARIA, ÍCONE DA TV BRASILEIRA

Postagens mais visitadas deste blog

PESQUISA BG/CONSULT/BOA SAÚDE/PREFEITO: WELLINGTON TEM 47,25%; E EDICE , 35,5% NA ESTIMULADA

PESQUISA BG/SETA/JUCURUTU/PREFEITO: NA ESPONTÂNEA, IOGO TEM 37,2% E VALDIR TEM 20,9%

PESQUISA BG/AGORASEI/96FM/GOVERNO REJEIÇÃO: FÁTIMA BEZERRA É A MAIS REJEITADA COM 36,4% , SEGUIDA DE GIRÃO COM 25,1%